Indexação

Utilizamos as melhores práticas de indexação. Os livros são editados com o ISBN, ficha catalográfica, além do DOI. Confira abaixo o que significa cada um desses elementos.

  • Ficha Catalográfica

Todos os livros publicados devem conter a Catalogação na Publicação, padrão internacional estabelecido em 1976 (Cataloging-in-Publication – CIP). No Brasil, de acordo com a Lei 10.753 de 30 de outubro de 2003, a adoção da Ficha Catalográfica é obrigatória.

A Catalogação na Publicação reúne num único lugar, geralmente no verso da página de rosto, dados pertinentes à obra, como nome do autor, editora, ano de publicação, ISBN e assunto e a Câmara Brasileira do Livro está apta a fornecer este documento seguindo o lay-out e as regras definidas pelo AACR2 (Anglo-American Cataloguing Rules)

A CIP auxilia as bibliotecas na seleção e compra de livros, facilitando a sua divulgação entre os usuários. Permite também às editoras que organizem seus próprios arquivos, catálogos comerciais e matérias promocionais dentro de padrões uniformes; por fim, proporciona aos livreiros as informações concisas sobre a matéria abordada nas obras, facilitando seu agrupamento por assunto e favorecendo sua veiculação.

A utilização da ficha catalográfica está em acordo com a Lei do Livro (Lei Nº 10.753, de 30 de outubro de 2003).

Fonte: www.cbl.org.br

  • O que é o ISBN

O ISBN – International Standard Book Number – é um sistema internacional padronizado que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país, a editora, individualizando-os inclusive por edição. Utilizado também para identificar software, seu sistema numérico é convertido em código de barras, o que elimina barreiras linguísticas e facilita a circulação e comercialização das obras.

Criado em 1967 por editores ingleses, o sistema passou a ser amplamente empregado, tanto pelos comerciantes de livros quanto pelas bibliotecas, até ser oficializado, em 1972, como norma internacional pela International Organization for Standartization – ISO 2108 – 1972.

O sistema ISBN é controlado pela Agência Internacional do ISBN, que orienta, coordena e delega poderes às agências nacionais designadas em cada país. Desde 1978, a Fundação Biblioteca Nacional representa a Agência Brasileira, com a função de atribuir o número de identificação aos livros editados no país.

Uma vez fixada a identificação, ela só se aplica àquela obra e edição, não se repetindo jamais em outra. A versatilidade deste sistema de registro facilita a interconexão de arquivos e a recuperação e transmissão de dados em sistemas automatizados, razão pela qual é adotado internacionalmente. O ISBN simplifica a busca e a atualização bibliográfica, concorrendo para a integração cultural entre os povos.

O ISBN dos livros da Poisson podem ser consultados no site da Agência Brasileira do ISBN do Ministério da Cultura neste link.

Fonte: http://www.isbn.bn.br

  • DOI – Digital Object Identifier

DOI – Digital Object Identifier – é a sigla em inglês para Identificador Digital de Objetos. Ele é um código padrão único e exclusivo (composto de números e letras) que possibilita a criação de um link permanente de um documento digital publicado (como uma espécie de CPF do documento).

Uma vez atribuído um DOI, não se pode removê-lo ou alterá-lo. Ele possibilita que um documento digital seja encontrado, mesmo se a URL do periódico ou do site em que estiver seja alterado ou pare de funcionar. É utilizado, principalmente na área acadêmica, para identificação persistente e recuperação mais rápida e precisa dos artigos, trabalhos de eventos e outros documentos digitais (textos, áudios, vídeos, imagens, softwares).

O DOI dos livros da Poisson podem ser consultados no site da Crossref neste link.

Fonte: https://bibliotecafea.com/2016/08/10/doi/

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this